DIAS 37 e 38 - 26 e 27 de Março de 2015

Deixo-vos o testemunho duma voluntária dos 40 dias pela Vida
 
Ontem, Quarta-feira, estive no turno das 09h às 12h30. Cheguei mais cedo às 08h50, reparei que já estavam duas senhoras à porta da clínica, foi realmente decepcionante quando constatei que uma das senhoras era uma rapariga que pensava que  ia mesmo ter o filho, tinha-nos dado garantias, íamos ajudá-la a procurar emprego e ela mesmo tinha dito que não queria voltar a passar pelo drama do aborto (o relato sobre ela já tinha sido aqui posto). Falei com ela, mas estava determinada, foram chegando cada vez mais pessoas, aproveitei para falar com todas, embora tenha sido ridicularizada, não me importei, continuei, não por mim mas pelos que não têm voz. Até que veio uma funcionária da clínica e abriu a porta para entrarem dizendo que ia abrir para não estarem a ouvir "essa gente". A rapariga também entrou! Foi muito triste. Tinha esperanças quanto a esta vida! 
Fui pedir perdão ao Senhor! Entretanto chegou outro voluntário, rezámos os dois o terço. Fui tendo oportunidade de falar com algumas grávidas. Entretanto chegou uma Missionária da Missão,  estivemos as duas a falar com uma mãe que estava de dez semanas, ela entrou, esteve em frente ao Santíssimo, disse que era católica, já tinha feito antes um aborto, mas depois de muito apoio para ter o bébé entrou na clínica. Não sei o desfecho, mas imagino o pior. 

Entretanto chegaram duas raparigas que se sentaram à porta da clínica, fui falar com elas e a frase de uma era crime " é trazer um bébé que não se quer ao mundo", fiquei a saber mais tarde que eram pró-aborto e estavam lá para importunar (meteram-se com a Missionária). 

Enquanto estava a rezar, trouxeram-me duas jovens, uma iraniana e outra vietnamita para lhes explicar em inglês a Missão, posso dizer que durante a conversa fiquei na dúvida se eram contra ou pró-aborto e se tinham sido enviadas para saber mais sobre o trabalho da Missão ou se tal como disseram estavam ali para recolher dados para um filme que estão a fazer sobre o aborto nos países mais "religiosos". A jovem iraniana explicou-me que no Irão o aborto é ilegal devido à sua religião muçulmana. Falou-me do seu amor do povo por Nossa Senhora de Fátima (tinha reconhecido as imagens dos Pastorinhos). Disseram que descobriram a Missão devido aos 40 dias pela vida. Apesar das suas religiões diferentes (muçulmana e budista) quiseram ir àCapela, então expliquei-lhes que é o nosso Lugar Sagrado por isso convidei-lhes a fazer a genuflexão, ao que atenderam com respeito, disse-lhes que pequenos gestos como a que tiveram pode fazer a diferença da paz no mundo. Quiseram saber como são as nossas orações, disse-lhes que por vezes rezamos o Terço, fazemos orações várias ou que simplesmente podemos ficar ali em silêncio a ouvir o que Deus tem para nos dizer. A jovem iraniana contou um pouco da sua história muito comovente e partilhei-lhes alguns filmes que podiam ver sobre o aborto: o October Baby e o Bella.

Entretanto ontem à tardinha, depois da desilusão que tinha levado de manhã, recebi uma sms, de uma jovem que está grávida e que ia saber as semanas nesse dia "Boa tarde (...). É a (...) abordou-me ha pouco  à porta da clínica. Grave também o meu nr... pensarei em tudo o que me disse. Obrigada". Respondi-lhe e disse-me que está de 7 semanas e não sabe o que fazer e agradeceu  apoio. vamos rezar por ela e não desistir de lutar pela VIDA, não obstante as desilusões que possamos ter. Um sacerdote amigo uma vez disse-me que o desanimo é a última arma do inimigo. 

Obrigada. Deus vos abençoe por esta iniciativa. Rezemos e muito. 

Dias 34, 35 e 36 - 23,24 e 25 de Março de 2015

A mãe búlgara confirma que fica com o seu bebé. O Aborto estava marcado para ontem e não foi.
 
Tivemos o apoio duma psicóloga do Colégio de Santa Maria, que falou com a grávida e lhe ofereceu trabalho. Escreveu-nos a contar que a senhora búlgara tinha ficado muito aliviada com a hipótese de trabalho, e escreveu também "obrigada por partilharem o dia a dia à porta da clínica, sem esse testemunho não seria possível tudo isto".

Além desta oferta de trabalho mais 3 pessoas ofereceram ajuda económica para esta mãe .Embora ainda não se tenha concretizado esta ajuda é um alívio saber que ela existe.
 
Pedimos orações e conselhos por um pai que pede ajuda pois a sua namorada quer abortar os filhos gémeos que leva dentro. Ele pede apenas que a sua namorada aguente os 9 meses que ele depois cuidará dos bebés. Na verdade já nem são 9 meses mas apenas 6 uma vez que já está grávida de 12 semanas. Embora já tenha passado o prazo legal o que ela diz é que desde que tenha um relatório médico a dizer que a sua saúde psíquica está em perigo, e desde que pague mil euros lhe fazem os abortos dos gémeos. Não sabemos é em que sitio ao certo lho irão fazer, porque ela não diz ao namorado.
 
Graças a Deus mais bebés foram salvos estes 3 dias, pelo que nos disseram  as voluntárias da Missão Mãos Erguidas, que são como sabem, quem lá está todo o ano à porta da clínica e agradecem reforços...
 
Ontem estiveram três jovens mães e cinco crianças a rezar na hora do almoço
 
Deixo um testemunho de ontem.
 
"Estive em oração hoje das 13h às 14h. Na primeira meia hora estive a rezar à porta da casa pois não havia lá ninguém e durante esse tempo vi todo o sofrimento que ia saíndo da clínica. Algumas mulheres saiam de lá muito combalidas e em baixo. Outras saiam de lá como se tivessem ido a um café ou às compras. No tempo que tive à porta rezei por estas mulheres. Por volta das 13h30 chegou a D. Augusta(julgo ser este o nome da sra.) e abriu a porta e fui rezar o resto do tempo dentro de casa.
Que Deus vos continue a ajudar a salvar as vidas destes bebés e destas mães.
Um abraço
Elsa"

Dias 31,32 e 33 - 20,21 e 22 de Março de 2015

O bebé búlgaro que vos falei, se Deus quiser não será abortado, pois temos estado em contacto com a sua mãe, contamos-lhe que 3 pessoas se tinham oferecido para ajudar economicamente e outra pessoa falou hoje com ela para ver se lhe arranja emprego. Aguardamos resultados que partilharemos aqui.
 
No sábado felizmente, graças à generosidade de uma voluntária que se ofereceu para organizar todo o dia, houve gente em todos os turnos a rezar por todo o sofrimento que se passa naquela clínica.
 
Deixamo-vos o testemunho da família que veio expressamente no Domingo desde Aveiro para participar nos 40 dias pela Vida.
 
Olá boa noite , estamos de regresso a Aveiro , estivemos sentados no degrau da entrada a rezar o terço de Raquel ,onde meditámos profundamente nas "dores" de tantas mães ...

Unidos na luta contra o aborto e pela causa dos não nascidos , tocados pelo Amor de Deus , gostamos de participar em família neste evento dos 40 dias , pessoalmente (uma vez que somos de longe e não podemos ir à semana) mas durante todo o ano rezamos em família nesta intenção , os nossos filhos já sabem afirmar na escola os valores pela vida ,sem problemas pois desde que os levamos a Lisboa para este evento eles (e nós pais) aprenderam muito , pois tivémos sempre a graça de ouvir testemunhos e partilhar histórias com pessoas que vão lá regularmente . Estamos um bocadinho tristes por este ano não podermos ter tido essa experiência , pois não apareceu lá ninguém durante o tempo que estivemos na porta a rezar e a fazer adoração ao santíssimo que estava lá dentro .

Passou apenas um senhor  e deixou um saco dentro da porta e voltou a fechar e foi embora . Ficámos até às 17h30m e não apareceu ninguém , deixámos 4 sacos (2 para menino e 2 para menina no hotel em frente ) oferta do santuário de Schoenstatt da Gafanha da Nazaré -Aveiro.

Aproveitámos para participar em seguida na santa missa em Lisboa , sempre unidos a vós nesta grande luta.  

Família Ribeiro 
Gafanha da Encarnação -Aveiro 
 p s . Levámos connosco uma jovem de 14 anos amiga do nosso filho mais velho  , que ao ouvir o Lourenço falar que vinha participar neste evento pediu para vir também.

DIAS 26 a 30 - 15 a 19 de Março de 2015

Antes de contar a semana começo pelo dia de hoje.
 
Hoje embora não seja dia de abortos, entraram muitas grávidas para fazer as prévias ecografias e ficarem com os três dias para pensar.
 
Um casal búlgaro, com documentos em dia, saíram da clínica tristes. Ao serem abordados disseram com franqueza que não gostariam mesmo de abortar, que nunca o tinham feito, mas que já tinham outros dois filhos, uma bebé e um de 6 anos, e que agora que finalmente tinham conseguido ama para a bebé e ela ia poder voltar a ir trabalhar nas limpezas para ajudar o marido que ganha o ordenado mínimo, com este bebé nunca iria conseguir trabalho.
 
Quando lhes dissemos que o que precisavam era de ajuda não de abortar aquele filho, a mulher chorou muito e garantiu que com ajuda não iria abortar mesmo.
 
Quem souber de alguma coisa por favor diga( tem muito bom aspeto e diz que consegue trabalhar nas limpezas até aos 9 meses de gravidez...)
 
Tenho de lhe ligar até Domingo à noite.
 
Apareceu uma grávida de 24 anos, com a sua mãe, avó do bebé, que tinha engravidado de um homem de quem não gosta, e o qual está numa cadeira de rodas mas quer que ela tenha o bebé. A avó é ama e diz que também cuidaria do bebé e que ela o "deixasse vir que tudo se cria" , mas a rapariga diz que é muito nova que tem uma serie de coisas que iam ficar empatadas na sua vida com uma criança, que além disso detesta crianças e que nunca se imaginou a ser mãe.... (rezemos para que este fim de semana se lhe abra o coração)
 
Depois um casal, ela de 21 anos e ele mais velho, saíram, acompanhados pela mãe dela, ainda nova também. O casal ao ser abordado ficou furioso "meta-se na sua vida, isto é inacreditável etc", mas a mãe dela, ficou a falar connosco e disse que ela também não concordava mas que a filha se dá muito mal com o namorado e que para isso o melhor era o neto não nascer, até porque neste momento ainda era só "uma célula"
 
De seguida saíram 3 amigas, duas delas ao perceber que a nossa ideia era defender a vida, e termos dito que nunca a mulher nunca fica a mesma depois de fazer um aborto disseram "não tenho pachorra para isto" e foram-se embora mas a que ia abortar não parava de perguntar aflita "como é que a mulher fica depois de abortar?" , mas as amigas puxaram-na e não a deixaram ouvir...
 
Outro casal , já com dois filhos de 12 e 6 anos, disse ser impossível ter outro neste momento, por motivos económicos, mas depois de serem abordados, mudaram de atitude, ficaram pensativos, eram muito abertos e queridos, e ficaram de pensar, temos muita esperança nestes.
 
Enfim só uma amostra das muitas abordagens de hoje de manhã.
 
Tivemos a rezar na rua, um casal jovem com dois filhos, um de meses e outro de uns 3 anos, foram um grande testemunho
 
Quanto ao resto da semana, apesar da falta de diários, continuaram a ser mortos muitos bebés, mas felizmente houve gente presente, aconteceram milagres, houve bebés que foram salvos, mães que sorriram e famílias que ganharam mais força.
 
Obrigada a quem esteve e a quem intercedeu rezando
 
Sábado e Domingo a clínica dos arcos está fechada, mas continuamos a nossa oração pelas mulheres que lá matam os seus filhos e que ficam com uma marca no seu coração para o resto da vida, pelos profissionais da clínica para que se arrependam e mudem o rumo da sua vida, para que acabem as leis que levam tantas pessoas a ponderar que talvez não haja mal em matar os seus próprios filhos, por todas aquelas que ficaram de pensar este fim de semana sobre se abortara ou não para a próxima, e por todas as pessoas das Mãos Erguidas que vêm todo o ano dia a dia, dedicar-se a esta causa, e pela sua Oração e Trabalho incansável tantas vidas são poupadas, e tantas mães são libertadas do remorso que as iria consumir toda a vida, e tantas outras já tendo abortado são conduzidas a caminhos de reconciliação e conseguem por fim recuperar a sua paz interior.

DIAS 23,24 e 25 - 12,13 e 14 de Março de 2015

Desculpem o silêncio, a redação esteve de retiro em Fátima:-)
 
Na sexta feira um bebé foi salvo, graças a Deus, e esta mãe pede orações para que a sua própria mãe, avó do bebé não a expulse de casa , pois é lá que pretende continuar a viver com este bebé e com mais uma filha de 2 anos. O pai deste bebé tem outra família, com boas condições, e tem mais filhos e segundo diz esta mãe, usa-a para " fugir à rotina conjugal", e agora quer que ela mate este bebé, mas ela não o vai fazer
 
Apareceram muitas grávidas, todas as que foram abordadas disseram-se batizadas e católicas algumas disseram mesmo ter feito o Sacramento do Crisma. Todas se diziam contra o aborto e que tinham votado "Não " no referendo, os companheiros também diziam o mesmo. Mas ao ser mais pessoalmente interpeladas diziam" Eu sei... não devia ser, mas a lei permite não é?"
 
Depois apareceram várias grávidas (jovens mas não adolescentes) acompanhadas das suas mães (avós dos bebés). Estas avós estavam zangadíssimas pela presença de quem abordava as suas filhas, enquanto estas, as grávidas, a medo agradeciam a presença de quem as abordava.
 
O nervosismo dos pais que estão á espera é grande e muitos dizem que depois disto é impossível ficarem juntos, ao matar um filho mata-se também a relação...
 
Deixo os testemunhos de duas voluntárias
 
"A hora em que estive a rezar à porta das Mãos Erguidas, em frente da Clínica dos Arcos, foi pacífica e abençoada. Embora estivesse um pouco receosa por estar sozinha, durante todo aquele tempo senti de forma muito clara a presença de Jesus no sacrário atrás de mim e de todos os que pelo país e pelo mundo fora rezam pela Vida.  
Entrou apenas uma rapariga na clínica, chinesa, que chegou de táxi com um menino pequeno. Alguns minutos depois saiu e dirigiu-se a mim, perguntando como chegar ao hospital D. Estefânia. Dei-lhe as indicações que consegui, sem pensar em perguntar mais nada, uma vez que achei que aquele desfecho era positivo. A graça: enquanto a mãe falava comigo, o pequenino agarrou-se afectuosamente à minha perna. Vi neste gesto um agradecimento do Céu.
Apareceu também uma jovem africana que há um ano se dirigiu à clínica, porque queria abortar por não saber quem era o pai da bebé. Foi dissuadida e agora precisava de uma ajuda concreta para a sua situação.
Espero conseguir voltar para rezar nestes 40 dias. Obrigada pela oportunidade!" (alexandra)
 
 Estive ontem no turno que me inscrevi das 09h00 às 11horas, acabei por chegar às 09h25 e ficar até às 12horas. Foi com os 40 dias pela vida penso que de há 2 anos que conheci a missão Mãos Erguidas, desde então passei a ajudar na medida do possível presencialmente durante algum tempo. Depois ausentei-me durante quase um ano, quando regressei a Lisboa fui convidada pela responsável,  para animar a Adoração noturna às sextas-feiras com jovens e assim tem sido desde Setembro/outubro do ano passado. Mas nunca mais tive coragem de ir ajudar de dia...é dificil! Mais uma vez foram os 40 dias pela vida a levar-me a sair de mim e a ir para o terreno rezar e falar com algumas senhoras. Assim foi ontem. Ás 11h30 apareceu uma missionária e depois uma voluntaria dos 40 dias Carolina que depois acabou também por aparecer à noite na Adoração dos jovens na Missão :)! Foi uma manhã de Graças e também de tristezas! Houve uma mãe que decidiu ter o seu bébe! Outra disse que ia pensar e outra mostrou também que queria ter, rezemos.
A oração é o sustento de qualquer missão. Rezemos também em acção de Graças por esta iniciativa. (sonia)

DIA 22 - 11 de Março de 2015

Hoje foi um dia bom, todos os turnos estiveram preenchidos com várias pessoas. Estiveram várias dezenas ao longo de todo o dia. Foi uma alegria ver tanta gente a rezar, dentro e fora da casa, e nenhum turno vazio nem sequer uns minutos...

Tivemos a Graça de ter mais um Sacerdote a rezar conosco

Muita gente Jovem, porque o dia foi assegurado como disse ontem por uma EJNS, e foi uma iniciativa de jovens de 17/18 anos

No entanto foi uma vez mais um dia de várias dezenas de abortos.

Dois homens um de manhã e outro à tarde, estiveram bastante violentos com quem os abordou, dizendo quer um quer outro que não tínhamos o direito de ali estar a "chatear" as pessoas.

Muitas mulheres (mais de uma dúzia) foram abordadas depois de já terem abortado. Por incrível que pareça todas pareciam agradecidas de estarmos a falar com elas. Agradeceram as nossas palavras e gestos de carinho. Todas disseram acreditar em Deus, e várias ser católicas, e todas elas (ao abordarmos cada uma) disseram que iriam procurar um padre para se confessarem.

Recordo especialmente o olhar de duas delas, uma ia acompanhada com uma filha de 7 anos, assim que me dirigi a ela os olhos marejaram-se-lhe de lágrimas e disse que estava a sentir-se muito arrependida.

Outra quando lhe perguntámos se podíamos ajudar disse com um olhar muito triste, "já não há nada a fazer, já está tudo feito". Levou o folheto das Vinhas de Raquel que lhe demos e foi-se embora de cabeça baixa.

Também abordámos um homem, que ficou depois a falar muito tempo com um Jovem voluntário dos 40 dias. Era amável e deixou-se abordar com facilidade.

A rapariga que estava a abortar tinha sido uma história "duma noite e deu nisto". Ele já tinha 3 filhos de 3 outras mulheres diferentes e já pagava muitas pensões de alimentos, este não "dava mesmo". Já tinha tido muitas outras namoradas que tinham abortado filhos dele. Ainda por cima ainda era muito novo (não devia passar dos 30- 35 anos). Que pena, dele, delas e dos pobres filhos!

Os voluntários que lá estiveram hoje prometeram voltar mesmo depois dos 40 dias acabarem e divulgar esta necessidade de Oração constante e se possível lá perto.

DIAS 20 e 21 - 9 e 10 de Março de 2015

Hoje foi um dia triste para quem esteve na porta da "clínica" dos Arcos.
 
Muitas mulheres abortaram, muitas iam sozinhas, muitas nem sequer olhavam quando eram abordadas, muitas olhavam muito zangadas e agarradas á barriga.
 
Aquelas que aceitaram falar foram dando desculpas como " tem, que ser tem que ser, tenho emprego e não posso perdê-lo"" Tenho casa para pagar, tenho já um filho e não posso ter este" "até porque este ainda não é nada"....
 
Duas das mulheres que abortaram estavam grávidas de gémeos, pelo que além de todos os outros bebés foram abortados dois pares de gémeos.
 
Deixo mais um testemunho duma voluntária que esteve no Domingo
"Obrigada pelo vosso testemunho em favor da vida!
Ontem também estive com um grupo de leigos hospitaleiro e uma consagrada hospitaleira do Sagrado Coração de Jesus entre as 10-11h.
Deixo o esquema de oração. Talvez possa ser útil a um algum grupo.
No próximo sábado irão também mais leigos hospitaleiros da Casa de Saúde da Idanha.
Que a nossa oração possa subir ao céu... E que Deus nos abençoe a todos."(carla)
 
Com amizade
 
Plataforma 40 dias pela Vida

DIAS 18 e 19 - 7 e 8 de Março de 2015

Ainda na sexta das 19 às 21h estiveram 30 Jovens do grupo de Jovens de Algés/ Miraflores. Não era a primeira vez que iam  e prometeram voltar...
 
Ontem de manhã tivemos um casal com os seus filhos adolescentes a rezar, cá fora, e depois à tarde algumas voluntárias, entre elas uma consagrada da comunidade Emanuel, que foi uma presença encantadora.
 
Rezámos nas escadas da clínica ,também em companhia do Robert Colquhou, terços em Português e inglês e outras orações.
 
Hoje houve muito poucos voluntários e ficaram vários turnos vazios.
 
No entanto, durante todo o fim de semana tivemos a visita do Robert verdadeiramente encorajadora. Animou-nos muito, contou-nos muitas histórias que se passam em todos os 27 países do mundo onde a campanha dos 40 dias está a decorrer agora mesmo, todas as clínicas abortistas que já se fecharam como consequência desta campanha e de todos os milhares de bebés que já foram salvos...
 
Ficou verdadeiramente impressionado com o trabalho das Mãos Erguidas todos os dias do ano na porta da Clínica dos arcos, bem como o acompanhamento e seguimento que fazem às grávidas, às quais continuam a acompanhar até muito depois dos bebés nascerem.
 
Falou em duas residências universitárias em Lisboa, almoçou com várias pessoas que trabalham pela Vida e pela Família em Lisboa, esteve também na Riverside Cristhian School, comunidade evangélica muito ativa na defesa da Vida, e ainda fez duas horas de turismo na companhia de pessoas amáveis e simpáticas:-)
 
Oiçam uns minutos do que o Robert nos contou:
 
 

DIA 17 - 6 de Março de 2015

Hoje de manhã, estiveram várias pessoas a rezar cá fora, ao mesmo tempo que outras iam abordando as grávidas.
 
Um casal  de 26 anos ela e 29 ele, pais de um menino de 18 meses, deixaram-se abordar com muita docilidade. Foi fácil falar com eles e nenhum dos dois estava realmente convencido em abortar, estavam porque "tinha de ser" porque ele não tinha emprego.No entanto ao falar-lhes do novo bebé, dum irmão para o que já tinham, sorriam e os olhos brilhavam-lhes. Entraram para fazer ecografia e quando saíram vinham muito contentes com uma foto do bebé (algo completamente inusual) que já tem 11 semanas pelo que, já passado o prazo legal não podem abortar.
 
Mas depois vieram outros casais, todos em bons carros,que não quiseram falar, uns respondiam "não estamos interessados obrigada" e outros responderam muito agressivamente
 
Uma rapariga africana chamativamente bonita,veio num  carro com um homem branco que entretanto foi estacionar o carro.Pudemos falar com ela que parecia nem sequer ter posto alguma vez a hipótese de ficar com o bebé, e que disse que por ela nem se importava de pensar nisso mas que " a pessoa não quer mesmo pelo que não dá". a pessoa era o pai do bebé. Entrou para fazer a ecografia e tem 3 dias para pensar.
 
De há uns tempos para cá os abortos são às terças, quartas e quintas, o dia inteiro, assim o médico espanhol que os faz, apenas tem de dormir em Lisboa 2 noites...às segundas e sextas fazem-se ecografias e revisões.
 
Deixo-vos mais um testemunho de outra voluntária que foi hoje de manhã, pela primeira vez
 
"Estive lá com mais duas pessoas
Vim impressionada com a realidade que vi de perto. Que horror! Não se consegue perceber, a imaginação não chega, é preciso mesmo ver."(Rita)

DIA 16 - 5 de Março de 2015

Hoje tivemos vários voluntários dos 40 dias a rezar nos vários turnos, e também mais um Sacerdote. Obrigada Sr Padre!
 
Foi tão bom ver um grupo de cerca de 10 pessoas (com mais ou menos anos mas todas Jovens) na rua a rezar, ao mesmo tempo que outras pessoas iam abordando as grávidas na Rua, e que outras estavam dentro da casa ao pé do Sacrário!
 
Uma grávida aceitou ser vista pelo nosso médico.
 
Foi abordada uma mãe vinda  dos Açores expressamente para abortar. Ou seja além de tudo o que o aborto implica economicamente este também incluía 2 viagens de ida e volta, e estadia em Lisboa para esse fim, tudo pago com os nossos impostos.
 
Alguns voluntários apareceram pela primeira vez e prometeram voltar.
 
Dois Jovens que frequentemente têm aparecido nesta campanha, desta vez preferiram ficar na rua a rezar em vez de ficar dentro da casa de Nazaré, e no fim diziam " realmente aqui na rua a perspetiva é outra, da próxima vez nem hesito vou logo pra rua".
 
Relembro que este fim de semana dias 7 e 8, teremos o coordenador internacional da campanha 40 days for Life, Robert Colquhou em Lisboa connosco.

no mundo: eua  espanha  inglaterra 

Plataforma 40 dias pela Vida Portugal. Joomla 3 Templates